17 de Fevereiro de 2018

Avião da Chapecoense cai e mata mais de 70; há sobreviventes

Avião da Chapecoense cai e mata mais de 70; há sobreviventes

Mais de 70 pessoas morreram no acidente do avião que levava a delegação da Chapecoense para a Colômbia. Ao menos sete passageiros foram resgatados com vida. O goleiro Marcos Danilo Padilha não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

Por volta das 12h30, cerca de 60 corpos tinham sido resgatados dos destroços, segundo informações da Cruz Vermelha Colombiana.

Os sobreviventes são: o jornalista Rafael Hensel, da rádio Oeste Capital, os jogadores Alan Luciano Ruschel, Jackson Ragnar Follmann e Hélio Hermito Zampier Neto, além dos tripulantes Ximena Suárez, auxiliar de voo, e Erwin Tumiri, técnico da aeronave. Eles foram encaminhados para hospitais da região, alguns em estado grave.

Ao menos quatro passageiros que constavam da lista do voo estão no Brasil e não embarcaram: o prefeito reeleito de Chapecó, Luciano Buligon (PSB-SC), o deputado estadual Gelson Merisio (PSD-SC), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Plínio David De Nes Filho, presidente do Conselho Deliberativo do Chapecoense, e Ivan Agnoleto, da rádio Super Condá — segundo informações confirmadas por familiares e pelas rádios.

Seriam, desta forma, 69 passageiros, além de nove tripulantes, num total de 78 pessoas no voo, em vez das 81 divulgadas anteriormente.

A aeronave se chocou com o solo na Colômbia, em viagem para Medellín, onde a equipe disputaria a final da Copa Sul-Americana.

Na lista inicial do voo, havia 22 jogadores, 28 acompanhantes e equipe técnica, 22 jornalistas (dos quais apenas um sobreviveu) e 9 tripulantes.

Related posts