17 de Fevereiro de 2018

Venal: suspeitos de fraudar IPTU são presos em Aracaju

Venal: suspeitos de fraudar IPTU são presos em Aracaju

A Polícia Civil de Sergipe deflagrou nas primeiras horas da manhã, desta sexta-feira (02), a Operação Venal. Foram cumpridos mandados de prisão e busca e apreensão em Aracaju, contra suspeitos que teriam fraudado o pagamento do IPTU. Os levantamentos iniciais da Polícia Civil indicam que o esquema gerou um prejuízo superior a 17 milhões de reais aos cofres públicos do município.

Sete pessoas foram presas durante a operação. Carlos Henrique, José Francisco Cunha, Vitor Alexandre Barros, Edson Santos, Sandra Cunha, Leovaldo Santos Almeida e Luiz Humberto Machado são alguns nomes já divulgados pela polícia.

As investigações tiveram início há três meses, quando a Prefeitura percebeu problemas com o IPTU e solicitou ao Departamento de Crimes contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap) para apurar os fatos.

A fraude se dava através de um funcionário da Procuradoria do Município que tinha acesso a uma senha e esta acessava o sistema de listagens do IPTU. Assim, com ajuda de dois servidores, os empresários retiravam o débito da conta e, a partir disso, emitiam uma certidão negativa de débito. “Com isso os empresários estavam livres para vender os imóveis, passar para outras empresas, dentre outras coisas”, diz a delegada Daniele Garcia, em coletiva de imprensa.

Até o momento já se tem investigado prejuízo superior a R$ 17 milhões de baixa irregular. O secretário de finanças do município, Jair Araújo, diz que fará o máximo para que o dinheiro seja devolvido. “Isso serve para que fiquemos ainda mais vigilantes a sistemas e a quem faz o uso desses e faremos o possível para que o dinheiro seja devolvido”, pontua Jair.

“Neste caso os indiciados poderão ser presos pelos crimes de corrupção ativa e passiva. Houve pagamento de propina para retirar os débitos, mas podem ter outros crimes que só poderemos dizer algo concreto sobre isso quando concluirmos as investigações”, afirma a delegada.

Além das prisões, a Polícia apreendeu vários computadores e um montante em dinheiro. Segundo a Polícia, a Prefeitura colaborou com as investigações. Na operação foram mobilizados cerca de 80 delegados, escrivães e agentes.

 

Com informações do F5 News

Related posts